A reciclagem é tradicional no setor papeleiro. As fábricas são abastecidas por uma grande rede de aparistas, cooperativas e outros fornecedores de papel pós-consumo que fazem a triagem, a classificação e o enfardamento do material. A cadeia produtiva que envolve a atividade gera empregos e renda, movimentando a economia.

Vamos conferir um pouco sobre como fazer a reciclagem de papelão e papel ondulado.

Antes, é bom a gente saber que cerca de 85% dos produtos consumidos no mundo utilizam embalagens de papelão. 

A reciclagem do papelão é muito importante para o meio ambiente, já que quando reciclado este resíduo pode ser utilizado na fabricação de novas embalagens, economizando 98 mil litros de água e preservando de 10 a 12 árvores que seriam cortadas para a fabricação de papelão novo.

 

O processo de reciclagem começa com a separação do papelão que será enviado para a coleta seletiva. Este material chegará às cooperativas especializadas em reciclagem que vai separar todos os resíduos recolhidos e encaminhará o papelão reciclável para indústrias de fabricação de papel ou embalagens.

Depois que o papelão é recebido pelas indústrias, ele é colocado em uma espécie de liquidificador gigante, onde será triturado para que as fibras sejam separadas e depois misturadas com água, até virar uma “massa” homogênea que passará pelo processo de centrifugação, em que todas as impurezas serão eliminadas, como areia, grampos, cola, etc.

São realizados alguns processos químicos para retirar tinta e clarear o papelão, além de deixar ele mais rígido. Em seguida esta “massa” é prensada, dando origem a uma nova folha de papelão que será utilizada na fabricação de novas embalagens e papel.

O processo de reciclagem do papel ondulado é semelhante ao do papelão, onde ao chegar à fábrica, o papel é misturado a água e depois colocado numa espécie de grande liquidificador, chamado “Hidrapulper”, este equipamento tritura as aparas formando uma pasta de celulose, depois vai para uma peneira que retém as impurezas como: papel não triturado, arames, plásticos e outros. Em seguida são aplicados compostos químicos tais como: água, soda cáustica para a retirada da tinta. Discos refinadores abrem um pouco mais as fibras de celulose melhorando a ligação entre elas. Uma depuração mais fina é feita usando o equipamento depurador para separar areias existentes na pasta. Finalmente, a pasta é branqueada com composto de cloro ou peróxido seguindo para as máquinas de fabricar papel junto a matérias primas de fontes renováveis como bagaço de cana de açúcar e biomassa vegetal.

 

O papel reciclado pode ser aplicado em chapas de papelão, embalagens de papelão, caixas de papelão, sacolas, bandejas para frutas, papel para impressão, entre outros usos.