Há muito tempo um grande número de empresas reconhece a importância de uma embalagem atrativa. Bonitas, inovadoras, rústicas e saudosistas, ousadas ou sofisticadas, elas chamam a atenção do consumidor, agregam valor ao produto e ainda ajudam a formular uma imagem para a marca.

O momento em que o cliente recebe sua encomenda é, de fato, seu primeiro encontro com o produto adquirido. Portanto, ele deve evocar sensações agradáveis que façam ele pensar que valeu a pena esperar pela entrega.

A embalagem é uma representante da marca nas mãos do cliente. Ela cria uma disposição mental positiva para receber e apreciar a compra, o que é essencial para agradar e fidelizar o consumidor, reduzindo o custo de aquisição.

Mas para que isso seja de fato um sucesso é necessário que essa embalagem seja transportada com sucesso não é mesmo?

A relação entre o produto e sua embalagem é tão estreita que a exige a realização de um planejamento conjunto, considerando aspectos mercadológicos, de custo e transporte.

Não basta apenas saber acomodar produtos dentro de uma embalagem, é preciso conhecer também toda a sua cadeia de distribuição. Ao desenvolver o projeto de uma embalagem para transporte, temos que lembrar que a embalagem será carregada, armazenada em prateleiras, acomodada em pallets e nos diversos meios de transporte previstos no projeto da distribuição do produto e, muitas vezes, será até exposta nas lojas. Será, ainda, aberta por pessoal não especializado, pode sofrer avarias devido ao manuseio incorreto e o produto pode ser objeto de roubo.

Então já sabemos: O produto tem que chegar intacto ao destino. O custo dessas embalagens tem que ser considerado no projeto do produto. O seu cliente, loja ou distribuidor não aceitará embalagens amassadas ou produtos danificados.